Este momento de transição tecnológica que vivemos no mundo corporativo ainda causa muitas dúvidas em profissionais de TI que buscam a melhor estratégia de negócio para as suas empresas.

A hospedagem de aplicativos é um bom exemplo disso. Servidor dedicado ou nuvem: qual dos dois é melhor? Para começar a tirar essas dúvidas da sua cabeça, nós preparamos este artigo para você. Acompanhe!

O que significa cada uma dessas opções?

Antes de começar nosso comparativo, vale a pena definir o que estamos comparando. As duas opções mais populares hoje para a hospedagem de apps e sua oferta como produto ou serviço são a aposta em um servidor próprio e dedicado da empresa ou a migração para a nuvem.

No primeiro caso, sua empresa é a responsável direta pela disponibilidade do aplicativo, que roda dentro de máquinas físicas que você gerencia. No segundo, a estrutura que sustenta e oferece o app está atrelada a um serviço de cloud computing, cujo desempenho é proporcional ao seu investimento.

Como decidir o modelo de hospedagem de aplicativos?

Mas como fazer a melhor escolha entre esses dois modelos para o seu negócio? Existem alguns quesitos de comparação que precisam ser levados em conta para tomar essa decisão da forma mais prática, econômica e eficiente:

Disponibilidade

No modelo de servidores próprios, a disponibilidade é resultado do seu investimento em estrutura. Pode-se apostar em mais recursos prevendo o futuro, garantindo o atendimento à demanda, mas você corre o risco de ter um sistema subutilizado em mãos — o que significa capital parado.

A nuvem é mais flexível, e a estrutura sempre atende à demanda. Apesar de exigir um gerenciamento mais ativo dos recursos, o resultado final é geralmente maior estabilidade e disponibilidade.

Custos

Na nuvem, a empresa paga pelo que ela precisa. Os custos são flexíveis e só se tornam insuficientes quando há um gerenciamento equivocado de investimento ou uma escolha ruim de fornecimento — resultado muitas vezes da falta de uma empresa parceira para lidar com esses contratos.

Ainda assim, os servidores próprios são cada vez menos aconselhados para a hospedagem de apps exatamente por seus custos a longo prazo, principalmente com manutenção, atualização e segurança.

Condições de prototipação

Nesse caso, é difícil dar vantagem para a hospedagem em servidores próprios. A arquitetura na nuvem é voltada para o desenvolvimento modular, permitindo a modificação e testes de novas versões em partes sem afetar a entrega do produto.

Dessa forma, a identificação de problemas e oportunidades é muito mais rápida e a validação quase que imediata. No caso de hospedagem física, o processo é mais lento e pode levar a períodos de indisponibilidade que atrapalham seu modelo de negócio.

Escalabilidade

Pensando no futuro, a nuvem traz mais elasticidade e escalabilidade para a entrega de um app. A oferta de recursos vai sempre acompanhar a demanda. Em servidores próprios, essa escala é de responsabilidade do setor de TI, que precisa prever uma necessidade com antecedência para planejar, pesquisar e implementar uma atualização de hardware.

Como funciona a hospedagem híbrida?

Levando em conta os quesitos que nós listamos, a nuvem, com certeza, leva alguma vantagem sobre o modelo de servidores dedicados, mas isso não significa que não exista uma terceira saída para se adequar ao que você precisa.

Se a sua empresa já possui uma boa estrutura de servidores, mas precisa das vantagens que a nuvem traz para o desenvolvimento e a entrega, uma solução híbrida pode garantir o melhor dos dois mundos. É possível, por exemplo, manter a estrutura do seu aplicativo na nuvem enquanto os dados com que ele trabalha estão consolidados dentro da sua estrutura interna.

Mas, para definir com confiança qual é o melhor modelo de hospedagem de aplicativos para a sua empresa, uma parceria especializada pode ser a melhor opção.

Então, por que você não entra em contato conosco? A Portnet está pronta para tirar suas dúvidas sobre o assunto e encontrar o melhor caminho para uma estratégia cloud de sucesso!

 

 

 

Comments