Não é por acaso que empresas do mundo inteiro estão migrando sistemas e operações para a nuvem. As novas tecnologias de cloud computing trazem alívio de custos e liberam equipes de TI para trabalhar com inovação e estratégia.

Mas além dessa certeza, surge uma dúvida importante na cabeça gerentes e diretores: qual o melhor modelo para o meu negócio? Vale a pena investir em nuvem pública? Nós tiramos essas dúvidas para você!

 

A diferença entre nuvem pública, privada e híbrida

A questão mais comum quando se decide por um modelo de nuvem tem a ver com suas nomenclaturas principais: nuvem pública, nuvem privada e nuvem híbrida.

Uma confusão causada por esses nomes é imaginar que a nuvem pública seja menos segura por tornar seus dados públicos, mas não é assim que funciona. O nome indica apenas como o provedor entrega o seu serviço aos clientes.

A nuvem privada é um sistema exclusivo de servidores dedicados a um contratante. Essa solução é mais usada em grandes empresas e garante personalização de estrutura em troca de flexibilidade e custo.

Já a nuvem pública particiona um ambiente virtualizado para vários clientes, diluindo o custo sem se descuidar da segurança (não há nenhum compartilhamento de dados entre contratantes).

Por último, existe a nuvem híbrida, que é uma junção dos dois modelos para atacar demandas específicas de empresas com operações mais complexas.

 

As principais vantagens da nuvem pública para empresas

Portanto, se a diferença dos modelos está na forma de entrega, o investimento na nuvem pública traz uma série de benefícios principalmente para pequenas e médias empresas:

 

1. Disponibilidade

A nuvem pública garante a disponibilidade de arquivos, softwares e outros tipos de dados 100% do tempo, permitindo o acesso de qualquer lugar, em qualquer aparelho que tenha credenciais para tal. Inclusive, é possível repassar a estrutura para o usuário, aumentando o valor do seu produto ou serviço.

 

2. Flexibilidade

A principal vantagem da nuvem pública sobre a privada é uma maior capacidade de manobra estratégica. A oferta do serviço pode ser ajustada em segundos para atender à demanda da empresa, seja para responder a um pico maior de uso, seja para reduzir recursos ociosos.

 

3. Redução de custos

Migrar para a nuvem é por si só uma forma de cortar gastos em infraestrutura — passar o investimento em patrimônio para investimento em serviço. Dentro desse cenário, a nuvem pública é ainda mais eficiente, proporcionando serviços robustos como Azure e AWS sem os gastos extras de uma nuvem privada.

 

4. Segurança

Um dos pontos polêmicos sobre a nuvem, o modelo público garante tanta segurança quanto qualquer outro tipo de sistema. Isso é possível porque provedores de serviços de nuvem possuem times especializados em monitoramento de ameaças e ação imediata em crises.

 

Alguns cuidados recomendados ao fazer a migração

Falando no assunto segurança, algumas dicas são importantes para uma migração sem sustos. A primeira e principal é a escolha de parceiros confiáveis, tanto provedores de serviço quanto o outsourcing de planejamento e implementação.

É necessário também cuidado na estratégia, treinamento e monitoramento, para garantir que sua equipe extraia o máximo dos benefícios que a cloud computing traz à empresa.

Conhecendo todas essas características, fica fácil responder à pergunta: vale muito a pena sim investir em nuvem pública, para ganhar em uma operação eficiente e um modelo de negócio focado em crescimento e inovação.

Basta planejar muito bem a implementação e escolher o parceiro certo para definir a melhor estratégia e o melhor serviço.

Gostou de saber mais sobre os modelos de nuvem para o seu negócio? Quer receber mais dicas sobre o assunto? Então assine a nossa newsletter!

 

Comments